Pesquisar este blog

Muita luz e bençãos à todos.

NÃO CONSUMA ERVAS E ALIMENTOS SEM ORIENTAÇÃO DE UM PROFISSIONAL.

Gostaria de pedir que caso algum autor não queira que seu texto seja postado aqui, por favor, é só comunicar e será retirado imediatamente.
Como a principal fonte é, muitas vezes, a Internet, meio de informação pública, muita coisa é publicada sem informações de Copyright, fonte, autor etc.. Caso algum texto postado ou imagem não tenha sua devida informação ou indicação, será escrito autoria desconhecida. Caso souberem, por favor, deixe um comentário indicando o ou no texto, ou caso reconheçam algum conteúdo protegido pelas leis de direitos autorais, por favor, avisar para que se possa retirá-lo do blog ou dar-lhe os devidos créditos. Se forem utilizar qualquer texto postado aqui, por favor, deem os devidos créditos aos autores dos textos. Obrigada!

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Celebrando os Equinócios

(autoria desconhecida)

A escritora Margaret Murray disse: "Os equinócios nunca foram observados na Bretanha." Os equinócios são também festivais solares mas são recém-chegados na Europa céltica e teutônica. Embora a influência dos "invasores solsticiais" saxões (termo de Margaret Murray) tenham acrescentado a celebração dos solstícios aos quatro grandes sabbats celtas, a nova Roda abrangia apenas seis festivais. No entanto, hoje já sabemos que povos pré-célticos megalíticos os observavam.

O calendário das bruxas modernas tem sua raiz nos oito festivais das estações, que para nós marcam pontos-chave na Roda do Ano. O Paganismo é essencialmente orientado pela Natureza, que tem muitos níveis e todos são vistos nos sabbats: agrícola, pastoral, vida selvagem, humano, botânico, solar, lunar, planetário, psíquico, pois são ondas de poder que afetam a todos nós.

De qualquer forma, hoje em dia os equinócios estão conosco. Todas as bruxas modernas os celebram e ninguém sugere que eles não deveriam estar sendo celebrados, pois tratam-se de mudanças das estações. Não foi uma invenção de Gardner ou de neo-druidas, mas uma parte da tradição pagã tal qual é vivida atualmente. A Bruxaria hoje não é igual à Bruxaria dos povos do período Paleolítico, que não é a mesma bruxaria dos povos celtas, nem dos povos africanos, muito menos das bruxas do período Medieval.

Janet e Stewart Farrar, em seu livro 'Oito Sabás Para Bruxas', dizem que é bastante possível que as celebrações do equinócio de primavera na Grã-Bretanha possam ter sido inspirados nas festividades cristãs da Páscoa. No entanto, a Páscoa traz percepções pagãs da primavera com raízes no Mediterrâneo, com vários mitos sobre sacrifício e ressurreição, todos eles muito anteriores ao cristianismo. Não há o que se discutir a respeito do que veio antes. O próprio ovo de Páscoa é pré-cristão.

Os dois equinócios são pontos de equilíbrio. Dia e noite são iguais e a energia flui com firmeza. Mas os equinócios apresentam temas opostos: o de primavera representa um período de descanso partindo para a ação, enquanto que o de outono representa uma preparação para o descanso. O equinócio de primavera representa iniciação; o de outono, repouso.

As mais frequentes aparições espectrais de certas assombrações acontecem em março e setembro, justamente na época dos equinócios. Os ocultistas reconhecem estes períodos como épocas de grande tensão psíquica.

Por um lado, essa informação pode até nos fazer pensar em uma contradição: Como os equinócios podem representar tensão se eles são o símbolo do equilíbrio entre a luz e as trevas? Mas é algo apenas aparente, pois, se analisarmos melhor a situação, vemos que os períodos de equilíbrio são épocas quando o véu entre o visível e o invisível está mais tênue, justamente por estarem em equilíbrio. Assim, podemos presumir que seja muito mais uma turbulência psíquica e psicológica, mas devemos tirar proveito dessas fases naturais, extraindo alegria ao invés de aflição.

Os sabbats são a maneira de celebrar das bruxas e é assim que estas entram em harmonia com os ciclos naturais, pois nós somos parte da Natureza e vivenciamos tudo o que lhe acontece.

Nenhum comentário:

Postar um comentário